Imposto de Renda 2023

Renda Extra Antecipar a restituição do Imposto de Renda vale a pena? Entenda

Antecipar a restituição do Imposto de Renda vale a pena? Entenda

Cliente precisa saber que o adiantamento representa uma operação de crédito, que cobra juros como qualquer empréstimo

  • Renda Extra | Do R7

Primeiro lote de restituição será pago em 31 de maio

Primeiro lote de restituição será pago em 31 de maio

ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO--23/05/2023

Com a liberação da consulta ao primeiro lote de restituição do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) 2023 nesta quarta-feira (24), começa a expectativa para receber a devolução do imposto retido na fonte. Estão previstos cinco lotes, e o pagamento do primeiro começa no dia 31 de maio, quando termina também o prazo para a entrega da declaração do IR deste ano.

Os bancos já oferecem aos clientes empréstimos para antecipar a restituição. As linhas de crédito são garantidas pelo valor de devolução a que o contribuinte tem direito depois de processada a declaração. Mas é preciso ter cuidado. Na prática, essa antecipação é um empréstimo, e quem solicitar poderá pagar juros.

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Para Thiago Barros, executivo da NTW Contabilidade da Unidade Araguaína Solutions, a antecipação pode ser vantajosa em duas situações: emergenciais e de investimento no próprio negócio.

O montante pode ser um aliado quando usado para a quitação de dívidas caras, como cheque especial, rotativo do cartão de crédito ou um empréstimo pessoal, por exemplo. Já o crédito para investir deve ser tomado após uma análise minuciosa do custo-benefício.

“Se a pessoa estiver necessitando muito do dinheiro, aparentemente vai valer a pena. É simples e rápido para o cliente e para o banco”, afirma Barros. “Pode ser um bom acordo também se o contribuinte tiver um negócio em que já queria investir na estrutura, produtos etc. e sabe que vai dar uma taxa de retorno que vale a pena”, acrescenta.

Mesmo ao pagar o débito, a pessoa precisa ter cautela. Isso porque os especialistas recomendam antecipar a restituição apenas quando os juros da dívida forem maiores que os juros dos empréstimos oferecidos pelo banco. 

O especialista também alerta para o risco às finanças pessoais de pedir a restituição de forma precipitada. “O fator emocional de ter o dinheiro antes pode iludir a pessoa. Se ela estiver bem financeiramente, não precisa da antecipação”, diz o executivo.

Imposto de Renda 2023: veja como fazer a declaração passo a passo

Confira o calendário da restituição

• 1˚ lote: 31 de maio

• 2˚ lote: 30 de junho

• 3˚ lote: 31 de julho

• 4˚ lote: 31 de agosto

• 5˚ lote: 29 de setembro

Malha fina

O contribuinte também precisa ter atenção para não cair na malha fina. Normalmente, os empréstimos de restituição são de prazo curto, no máximo de até seis meses. Caso a restituição atrase porque o declarante do Imposto de Renda errou ou omitiu informações, o empréstimo com juros mais baixos torna-se uma operação convencional, com juros maiores.

Segundo o Conselho Federal de Contabilidade, erros na declaração e eventuais atrasos na restituição podem fazer o tomador cair numa nova bola de neve e contrair mais uma dívida. O órgão recomenda antecipar a restituição do Imposto de Renda apenas pelo contribuinte que tem dívidas com juros mais elevados, como o cheque especial e o cartão de crédito.

Arte/R7
Últimas