Renda Extra Investimento em ouro dribla coronavírus e salta 27% em 2 meses

Investimento em ouro dribla coronavírus e salta 27% em 2 meses

“Porto-seguro em tempos de crise”, o metal preciso exige cautela e deve ser usado apenas para a diversificação de carteira

  • Renda Extra | Alexandre Garcia, do R7

Grama do ouro beira os R$ 250

Grama do ouro beira os R$ 250

Michael Dalder/Reuters - 3.3.2014

Os brasileiros que apostaram na valorização do ouro têm bons motivos para comemorar. Ativo seguro em momentos de crise, o metal precioso driblou o surto de coronavírus e já acumula valorização superior a 27% em 2020.

Desde o início de janeiro, o preço da grama do ouro saltou de R$ 195,96 para R$ 249,08. No mesmo período, o Ibovespa, principal índice de ações do Brasil, desabou mais de 15% e fechou o pregão da última sexta-feira (6) abaixo dos 100 mil pontos pela primeira vez desde outubro do ano passado.

"Quando o mercado de Bolsa está em queda, você provavelmente vai ter um cenário de baixa no exterior também e o ouro, com certeza, estará caminhando no sentido contrário”, afirma Mauriciano Cavalcante, gerente de câmbio da Ourominas, que define o metal como um “porto-seguro em tempos de crise”.

Leia mais: Pão e combustível devem ficar mais caros com alta do dólar

O professor de Economia do Ibmec SP Walter Franco explica que a movimentação favorável ao ouro ocorre sempre em momentos de insegurança e falta de clareza sobre o crescimento econômico. “É necessário compreender que o ouro é um ativo seguro”, observa.

De acordo com Franco, a alta recente do dólar ante o real é outro fator ligado à valorização do ouro, que tem seu preço definido internacionalmente. “A alta que eu esperava já veio”, destaca ele, que já previa uma necessidade de reajuste no valor do metal.

Como investir?

Além de comprar barras de ouro, os interessados em aplicar parte de seus recursos no metal precioso têm a opção também de comprar contatos do ativo na Bolsa de Valores (OZ1D) ou apostar em fundos de investimentos atrelados ao ouro.

Franco afirma que o ouro deve ser tratado apenas como um instrumento de diversificação de investimento e orienta a compra sempre daquele ativo que tenha mais liquidez.

Veja mais: Efeito do Coronavírus pode gerar bons negócios para investidor

“Existe a opção de vocês comprar uma barrinha de ouro, mas é algo que tem uma liquides muito baixa. O ideal é você ter ativos indexados em ouro, que podem ser negociados de forma mais líquida", recomenda o professor do Ibmec SP.

Cavalcante alerta também para a volatilidade do mercado de ouro e afirma que “não se pode ficar brincando muito”.

Acompanhe o R7 Economize no Facebook e no Instagram

Últimas